Início Matérias Gourmet Vinhos veganos: será que todos os rótulos são 'animal free'?

Vinhos veganos: será que todos os rótulos são ‘animal free’?

Basicamente resultado da fermentação de diferentes uvas, a bebida não costuma ser associada a nada de origem animal. Mas será que só isso faz dos vinhos veganos?

Pensando rapidamente, todos os vinhos são veganos/vegetarianos, não é mesmo?! Afinal, eles são feitos de uvas, que nada mais são que frutas. Certo? Até aí, tudo ok! Mas o que pode tirá-los dessa classificação “free” de envolvimento animal aparece depois, durante um processo específico da fase de vinificação, chamado clarificação.

Você já deve ter percebido que alguns vinhos formam os chamados “cristais” – aquelas pequenas partículas que deixam a bebida mais turva. O processo de clarificação consiste em adicionar componentes coagulantes na bebida, aumentando o tamanho e o peso das moléculas. Dessa forma, tais resíduos ficam acumulados nos tanques e não são transferidos para a garrafa, deixando a bebida mais límpida.

Proteína no vinho?

É nesse momento que “o bicho pega”. Para se fazer esse processo, é necessário utilizar uma substância proteica. Algumas empresas usam cola de peixe, clara de ovo, caseína do leite ou gelatina feita com a pele ou os ossos de porco.

Existem, contudo, formas alternativas para garantir o mesmo efeito. Um método consiste na filtragem do vinho, antes dele ser engarrafado. Para isso, é usada uma bateria de placas de bentonita, um tipo de argilomineral.

Tem ainda a filtragem tangencial por membranas inorgânicas, preparadas com materiais cerâmicos, vítreos e/ou metálicos. A vantagem é que esse método, além de não utilizar nada de origem animal, não captura os polifenóis, que são componentes importantes nos aromas do vinho.

Para os vegetarianos e veganos de plantão, essa curiosidade pode ter um valor muito grande e determinar a escolha no momento da compra de um rótulo novo. Mas, para facilitar o trabalho, confira a seguir alguns vinhos veganos encontrados no Brasil, de acordo com a Wine To You (W2U).

Vinhos veganos

Garrafa de Rosé Piscine Stripes | Crédito: Divulgação

Rosé Piscine Stripes

Como o vinho rosé francês mais vendido no Brasil em 2018 e 2019, essa bebida é feita para ser consumida com duas ou três pedras de gelo. Versátil, é refrescante, de coloração rosé salmão, levemente frutado, com notas de lichia e flores. Uma ótima pedida para quiches, canapés ou saladas.

Tarani Cahors Malbec

Diferente dos Malbec presentes no Brasil, normalmente de origem argentina, o Tarani é a versão original da cepa Malbec francesa. Com aromas de frutas pretas, mirtilo e amora, com um toque leve de baunilha, tem um paladar com taninos suaves e um final doce. Sedutor e frutado, faz grande sucesso quando harmonizado com massas e pizzas.

Sang Mêlé Rouge

Esse rótulo é o fruto da união de 4 terroirs, em que o solo de cada um é composto basicamente pelas seguintes pedras: seixos rolados, graves rosas, pedras vermelhas e graves de terraço. Um blend com uvas típicas do sudoeste da França, o que se traduz em um vinho muito frutado e intenso.

Leia também: Olá, primavera! Chegou a hora de dar um tempo nos vinhos tintos?
Assista: Papo Zumm: Vinhos do Douro

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!