Exame de ultrassom substitui biópsia de fígado

737

A elastografia hepática é um novo exame que evita cortes – como os realizados no procedimento de biópsia convencional – e a internação do paciente

A elastografia hepática veio para trazer maior conforto aos pacientes que necessitam de uma avaliação de patologias do fígado. O exame de ultrassom não precisa de nenhum preparo e não oferece os riscos relacionados a uma biópsia de fígado, procedimento em que é necessária a internação do paciente para a retirada de uma pequena amostra do órgão, causando dor no local e hematomas na barriga – e, em casos mais raros, complicações como hemorragia e pneumotórax.

Para a realização desse exame, o paciente deve apenas ficar deitado de costas, com a camisa levantada, e expor o abdômen, onde o médico colocará o gel lubrificante antes de passar a sonda, que, por sua vez, mostrará imagens na tela do aparelho, as quais serão avaliadas em busca do diagnóstico.

Dessa forma, a elastografia hepática pode avaliar doenças como hepatite, gordura no fígado, cirrose, colangite esclerosante primária, hemocromatose e doença de Wilson. Além de diagnosticar e identificar a gravidade das doenças do fígado, o exame pode ser utilizado para avaliar o sucesso do tratamento, pois consegue identificar a melhora ou piora do tecido hepático.

Sem dúvida, esse é mais um exame inovador que a MED – Medicina Diagnóstica está trazendo para a cidade de Ribeirão Preto, um grande centro de excelência médica.

 

Dr. Thiago Giansante Abud|CRM/SP 109315
Médico radiologista da equipe de especialistas da
MED – Medicina Diagnóstica

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui