Início Matérias Cultura SP-Arte é realizada em formato digital, mais acessível e dinâmico

SP-Arte é realizada em formato digital, mais acessível e dinâmico

Até dia 30 de agosto, a edição 2020 da SP-Arte acontece na versão Viewing Room, uma plataforma digital que atende às necessidades atuais e democratiza a exposição

Reconhecida e celebrada como a mais importante feira de arte da América Latina, a SP-Arte, assim como todo o setor cultural, sentiu os efeitos da pandemia. Contudo, em vez de se restringir ou ser cancelada, a mostra se expandiu por novos caminhos e, agora, acontece em uma versão digital, mais democrática e acessível que antes.

“A feira é aberta a todos ao mesmo tempo, reproduzindo o imediatismo das relações, com transparência de preços, e oferecendo formas de comunicação tão dinâmicas quanto as que já são desenvolvidas diariamente”, destaca Fernanda Feitosa, idealizadora e diretora da mostra realizada em parceria com a rede Iguatemi.

Após ser adiada em março, quando a venda dos ingressos já havia começado, a SP-Arte Viewing Room (nome dado à versão digital) começou nessa segunda-feira, 24 de agosto, e vai até domingo, 30. Todos os expositores que estavam previstos para o evento presencial continuam no programa, de forma que ganharam um perfil na plataforma digital. No total, mais de 130 galerias de arte e design, nacionais e internacionais, compõem a programação.

Arte para todos

Durante os sete dias, visitantes de todos os lugares do mundo podem navegar pelos projetos expositivos escolhidos pela curadoria cuidadosa dos artistas. Eles são apresentados com textos descritivos, áudios, vídeos, visualização em detalhes e aplicação em escala.

Para isso, basta acessar: www.sp-arte.com/viewing-room/ . Não é necessário fazer registro para acessar às obras. Informações só são solicitadas caso o visitante queira interagir com o conteúdo, como ao mandar mensagens a um galerista ou reagir ao conteúdo.

SP-Arte | Crédito: Divulgação
Obra em exposição na SP Arte Viewing Room | Crédito: Divulgação

“Ambiente online é, por natureza, acessível, democrático e amplo. Não é necessário cadastrar ou registrar. O acesso é imediato pelo link. Nesse modelo, o artista ganha mais evidência. Muitos deles filmaram seus ateliês e fizeram vídeos caseiros muito simpáticos apresentando seus trabalhos”, explica Fernanda.

Ela ressalta que, apesar desse contato mais direto entre visitante e artista, a comercialização das obras se dá por meio das galerias, uma vez que é o formato proposto pela SP-Arte desde seu início.

E o caráter mais democrático do novo modelo da SP-Arte não é significativo apenas para os visitantes. Segundo a idealizadora, houve um aumento de 126% nos contatos de possíveis compradores com as galerias.

Programação de imersão

SP-Arte-Fernanda-Feitosa | Crédito: Divulgação
Fernanda Feitosa, idealizadora e diretora da SP-Arte | Crédito: Divulgação

Pensado como uma plataforma imersiva, o SP-Arte Viewing Room teve a programação adaptada ao ambiente online e novas atividades adicionadas, de forma que a exposição deixou de ocupar apenas um espaço no Shopping JK Iguatemi e agora é realizada a partir de vários ambientes.

“Toda a programação que fazíamos na semana da SP-Arte adaptamos para a nova realidade. Como exemplo, temos várias aulas que serão transmitidas online, gravadas ou ao vivo. Também haverá artista fazendo tour por seu ateliê e até aquele que manterá uma transmissão ao vivo durante todo um dia de trabalho”, relata a diretora.

Outra novidade desse ano são projetos independentes, centralizados em difundir e fortalecer a arte afrodiaspórica e de mulheres brasileiras, como a 01.01 Art Platform e o Levante Nacional TROVOA.

O futuro

O formato, que já vinha sendo desenvolvido para agregar ao evento físico, apresentou-se não apenas como alternativa viável, mas como opção atrativa. Afinal, agrega e expande as oportunidades para o mercado da arte. Fernanda cita como exemplo dos ganhos a maior transparência de informações, inclusive dos preços das obras.

“Entendemos que o preço precisa estar upfront, tem que aparecer. Porque, no online, quando fazemos uma pesquisa, já queremos todas as informações. Isso também é uma mudança de paradigma no nosso setor”.

O Viewing Room não será, entretanto, uma substituição à mostra em seu formato original. “Essa acessibilidade digital se somará a experiência presencial. De agora em diante, o online é nosso aliado, inclusive no alcance do público internacional. Esse formato veio para ficar. Com certeza, ano que vem a SP-Arte será híbrida”, afirma a diretora da exposição.

SP-Arte | Crédito: Divulgação
Obra em exposição na SP Arte Viewing Room | Crédito: Divulgação

Leia mais: SP-Foto consolida fotografia como expressão de arte
Assista: Papo Zumm: A moda brasileira pós pandemia

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!