Início Matérias Tecnologia Slow content: mais qualidade e menos quantidade no conteúdo digital

Slow content: mais qualidade e menos quantidade no conteúdo digital

Em tempos de boom digital e muitas marcas querendo chamar a atenção no terreno online, o movimento Slow Content traz a certeza que menos é mais!

Já há bastante tempo em minhas palestras, aulas ou encontros eu venho falando da importância de tirar um pouco “o pé” (e a mão) das estratégias de marketing focadas apenas em anúncios, com o objetivo de vender algo para as pessoas.

As marcas, produtos e serviços promoveram por muito tempo encontros com o consumidor com esse objetivo único de apresentar (ou criar) uma necessidade de compra. Das mais diversas maneiras, o conteúdo seduzia, encantava e promovia principalmente o conhecimento sobre determinado produto e negócio.

Mas dê uns tempos pra cá, onde a comunicação se tornou menos passiva e mais interativa, ganhamos espaços tecnológicos para também levar oportunidades a consumidores mais seletivos, principalmente após o mundo virar de ponta cabeça em 2020.

Quem ainda não havia despertado para a necessidade de uma presença online, além da sua porta física, experimentou se aventurar ao desconhecido e também começou a produzir algum tipo de conteúdo para seu negócio, usando o digital para isso.

O fato é que este novo caminho também necessita de novos mapas e alguns foram longe demais. Este terreno fértil está se tornando árido, pois além de disputar o espaço com outras pessoas, se tornou um campo minado com um “boom” de marcas fazendo de tudo para conseguir chamar a atenção.

Já dizia o professor Eduardo Gianetti, isso já há uns bons 18 anos, que nossa sociedade anda “obesa de informação e sedenta de sentido”. É inegável que existe hoje uma sobrecarga de informação.

Talvez por isso uma das grandes tendências nas estratégias de marketing digital para 2021 seja uma virada para o Slow Content. O conceito não é nada novo, mas ganha maior importância neste ano e significa que deve-se diminuir a quantidade de conteúdo e torna-lo mais profundo e com propósito para quem quer se conectar e conversar com essa ou aquela marca, principalmente no online.

Isso leva a outra grande polêmica do momento o cancelamento digital de influenciadores, porque geraram conteúdo para marcas que não trazem verdade, ou até mesmo pelo posicionamento ocupado por eles em suas redes.

O risco hoje em gerar algo que ao invés de agradar, desagrade o seu público é grande. Por isso a importância de se ouvir mais e falar menos, buscar esta interação, fazer uma leitura de dados eficiente, e produzir um conteúdo com maior propósito para seu público são alguns indicadores que levam a um caminho certo para o Slow Content.

Afinal, o bom conteúdo é aquele que entrega valor para as pessoas e que cria conexões profundas com essa audiência.

Leia mais: Teclado antipreconceito: nessa luta, palavras importam!
Assista ainda:
Salada de folhas com nectarina

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!