Início Matérias Esportes Raquetinha é igual ao tênis?

Raquetinha é igual ao tênis?

Conheça as curiosidades dessa modalidade e saiba como participar do torneio que acontecerá em Ribeirão Preto em março de 2020

Raquetinha. Pois é! Não estamos falando de um objeto, mas de um esporte. Você conhece? Inúmeros esportes fizeram parte da minha vida por muito tempo, mas confesso que nunca tinha ouvido falar sobre essa modalidade. Também conhecida como Mini Tênis, ela possui as regras da versão mais famosa, porém, inicialmente, era jogada com uma raquete feita de madeira e com um cabo mais curto – hoje, encontramos tipos feitos de fibra de vidro ou carbono.

Joel Olla Junior

Conversando com Joel Olla Junior, administrador de empresas e responsável por realizar o Circuito Raquetinha (o qual possui 12 etapas, em 12 cidades do interior paulista), ele me contou que esse esporte nasceu em 1942, quando um grupo de jogadores de Tênis chegou a um clube em São Vicente, em Santos, no litoral paulista, e as quadras estavam todas lotadas. “Daí eles tiveram a ideia de levar o esporte para a praia. Como as cordas da raquete convencional não seriam boas para a velocidade da bolinha, deixando-a muito rápida, eles optaram por uma de madeira”, revela.

Ribeirão Preto entrou no circuito!

Caso você tenha se animado para conhecer as curiosidades desse esporte, ficará ainda mais contente ao saber que, em março de 2020, Ribeirão Preto fará parte do Circuito Raquetinha. “O Adriano Ferreira, que é ex-jogador profissional de Tênis, e a Fabiane Vega, jogadora amadora de muito talento, participaram das etapas que aconteceram em Nova Odessa (SP), Piracicaba (SP) e Americana (SP), e levaram troféus de campeões em alguns deles. Esse nosso contato, e como eles também estão à frente da Set Point, facilitou trazermos o campeonato amador para a cidade”, explica o administrador.

Adriano Ferreira durante partida da Raquetinha | Crédito: Divulgação

Essa abertura, segundo Fabiane, será muito bacana para a região, que poderá explorar outro tipo de modalidade, envolvendo ainda mais os ribeirão-pretanos que gostam de esporte. “A Raquetinha é nova em Ribeirão e tenho certeza que todos que iniciarem vão se apaixonar. Os torneios são muito animados e o ambiente, descontraído e alegre. Muitos jogos acontecem com música, diferente do Tênis”, afirma a jogadora amadora.

Para Adriano, qualquer tenista consegue jogar e se divertir desde a primeira vez. “A raquete utilizada nesse tipo de modalidade é menos potente que a do Tênis e, por isso, não exige tanta técnica. É um esporte muito fácil de se entender. Super recomendo!”, finaliza o ex-jogador profissional.

Fabiane Vega e Daiana Galbiati, campeãs de Raquetinha em Nova Odessa | Crédito: Divulgação

Patrocínio São Francisco - Portal Zumm 698x86

Leia também: Corinthians contrata nadador de Ribeirão Preto

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!