Início Matérias Gourmet Da culinária do Peru direto para uma volta ao mundo da arte

Da culinária do Peru direto para uma volta ao mundo da arte

adizza_peru_masp | Foto: Arquivo pessoal
Restaurante Ama.zo, em São Paulo | Foto: Arquivo pessoal

Mais uma vez tive a sorte de vivenciar, no mesmo dia, três de minhas paixões: gastronomia, cultura e São Paulo – além de conhecer um pouco mais do Peru sem sair do Brasil…

É impressionante como São Paulo é uma cidade inesgotável e que sempre tem algo novo para nos apresentar ou para que possamos descobrir. Minha mais recente descoberta começou me levando ao Ama.zo, responsável por uma culinária peruana impecável.

Montado em um casarão histórico nos Campos Elíseos, o restaurante é, antes de tudo, um verdadeiro refúgio natural em meio à selva de pedra; um ambiente muito agradável, com amplas áreas abertas e arborizadas, que ajudam a dar o tom leve e fresco do que será saboreado ali.

adizza_peru_masp | Foto: Arquivo pessoal
Trio de Leche de Tigre | Foto: Arquivo pessoal

O cardápio inspirado pela cozinha do Peru conta com muitas opções e não vou dizer que foi fácil escolher. Mas, por fim, decidi por:

  • Trio de Leche de Tigre (3 tipos de ceviche);
  • Tiradito ajolivo (cardápio de peixe branco);
  • Patacones de cogumelos;
  • Arroz cremoso de lula, polvo e camarão.

Com certeza, não foi à toa que o Ama.zo ganhou o prêmio Michelin na categoria Bib Gourmand. Contudo, se tivesse que recomendar apenas um, indico a receita com peixe branco. Imperdível!

Onde Ribeirão Preto fica perto da Europa

Depois dessa descoberta vinda do Peru, parti rumo ao MASP, um dos meus museus preferidos na capital paulista. Adoro como cada um de seus andares me leva a um lugar diferente.

Da Europa e entre os maiores artistas de todos os tempos, me perdi em um acervo riquíssimo com Renoir, Picasso, Volpi, Burle Marx, Di Cavalcanti e muitos outros. Na sequência, desbravei um andar inteiro com 76 obras do escultor e pintor Edgar Degas.

Qual não foi minha surpresa quando encontrei, ali no meio, fotos da artista visual Sofia Borges, cujas raízes são de Ribeirão Preto. Também pude prestigiar a obra de Flávio Cerqueira, que, além de ser um amigo pessoal, é um artista admirável.

Também tive a chance de conferir a exposição mais atual, considerada uma das maiores retrospectivas da carreira de Beatriz Milhazes. Com obras expostas no MoMa (Nova York) e no Centro Pompidou (Paris), a exposição brasileira se divide entre o MASP e o Itaú Cultural e reúne cerca de 170 trabalhos da artista carioca, criados nos últimos 30 anos.

Leia mais: Uma fantástica fábrica de chocolate em São Paulo
Assista: Salada Refrescante de Melancia

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!