Início Matérias Cultura BBB 21 traz à tona a polêmica "Cultura do Cancelamento"

BBB 21 traz à tona a polêmica “Cultura do Cancelamento”

Apenas há poucos dias no ar, o programa é assunto dominante nas redes sociais com a polêmica sobre militância social e cancelamento na internet

A 21ª edição do reality show Big Brother Brasil começou há poucos dias, mas já se tornou assunto dominante no país. Mas a razão que levou o programa, em tão pouco tempo, a ser tão polêmico pouca gente imaginava: a cultura do cancelamento. No BBB 21, a eliminação não é mais a maior preocupação entre os brothers e os telespectadores e, sim, o julgamento no tribunal das redes sociais.

Ao mesmo tempo, essa não é uma discussão nova no reality. Na edição passada, muitos participantes foram “cancelados”, ou seja, tiveram muitas de suas atitudes censuradas e perderam centenas (quando não milhares) de seguidores. Esse foi o caso de alguns integrantes do elenco masculino, condenados por machismo, e de certas sisters, por comentários excessivos.

Dessa vez, até atitudes para prevenir o cancelamento acabaram tendo o resultado que queriam evitar. Por exemplo, internautas descobriram que o participante Fiuk fez um curso de “Cultura Social” para conseguir entender o universo das minorias e evitar dizer ou agir de alguma forma que fosse ofensivo para tais grupos. 

Cancelamento por todo lado

Tentativas desesperadas para evitar o cancelamento, portanto, já foram alvos de criticas na edição – e não apenas para Fiuk. Ao lado dele, a cantora Karol Conká e Lumena estão sendo altamente sentenciadas nas redes sociais, especialmente após terem excluído Juliette e Lucas, entre outros deboches e atitudes “reprováveis” dentro da casa. Conká já foi acusada até de xenofobia e perdeu mais de 300 mil seguidores em menos de 10 dias.

Sem dúvida, até o momento, a curitibana é a mais afetada pela repercussão fora da casa, inclusive profissionalmente. Muitos artistas já se posicionaram contra suas atitudes e contratos de trabalho começaram a ser rescindidos, como com a organização do Festival Rec Beat Festival, que desistiu de exibir o show pré-gravado da cantora após suas polêmicas no BBB 21.

“Acompanhamos as últimas declarações de Karol Conká no ‘BBB21’ e reafirmamos nossa total e absoluta discordância de suas atitudes, que vão contra os princípios basilares do Rec-Beat e do nosso público”, citou a produção em nota oficial.  

Cultura do cancelamento: o que é?

Cancelamento: Live mostra Karol Conká perdendo seguidores em redes sociais
Live mostra Karol Conká perdendo seguidores em redes sociais | Créditos: Periscope

Para quem não está familiarizado com esse termo que explodiu nas redes sociais, “cancelar” consiste boicotar uma pessoal devido ao seu comportamento considerado errado e que gera repercussão imediata.

No caso de artistas, o cancelamento na era digital acabou sendo o “lado B” da fama. Ao mesmo tempo em que o público preza e anseia pela autenticidade do famoso, eles esperam ter suas expectativas atendidas. E quando essas são frustradas, dá-lhe críticas e julgamentos…

A analista de Marketing Digital Giovana Carla enfatiza que, quando a repercussão é negativa, é quase inevitável que isso influencie diretamente na carreira da figura pública. Isso porque, assim como existe a resposta do público, as empresas, marcas e assessorias encontram na aceitação uma forma de “medir” o sucesso da parceria com quem se associam.

“Trabalhar em agência me deixa um pouco mais perto dessa realidade. Afinal, quando pensamos em criar algo diferente, a linha entre se arriscar e ser mal interpretada é muito tênue. Se houver falhas, a jornada da ‘redenção’ é muito mais longa. Essa jornada requer entendimento e sabedoria, pois, existem duas possibilidades: sucumbir à situação ou entender o cenário e agir de forma efetiva. Quando digo efetiva, não é sobre mostrar ao público arrependimento, mas, de fato, fazer algo a respeito, uma transformação real, seja ela a mudança de posicionamento de marca ou o fomento de discussões relevantes e necessárias no momento”, explica a especialista.

Giovana reforça que os brothers já entraram nesse jogo com muito medo do cancelamento, mostrando como essa cultura é perigosa. “A dinâmica do jogo mudou. O ‘cancelador’ se tornou ‘cancelado’. Em apenas 10 dias, Karol Conká perdeu seguidores, participação em festival, programa de TV e apoio do fã-clube. É triste ver carreiras consolidadas sendo jogadas lixo. Mas essa é consequência de quem se arrisca nessa cultura. Essa é a cultura do cancelamento”, define.

Cancelamento x abuso psicológico

Os brothers isolam Lucas e Juliette
Os brothers isolam Lucas e Juliette | Créditos: TV Globo

Segundo a psicoterapeuta Patricia Capuani, existe uma diferença que precisa ser ponderada: aquela entre cancelamento e abuso psicológico. Quando o 2º acontece, faz com que a pessoa que o sofre comece a se questionar sobre sua própria sanidade mental.

“Será que é verdade sobre oque estou sendo questionada? Isso resulta em sintomas físicos e emocionais, e, mais futuramente, em outros tipos de doenças”, aponta Patrícia. E, dentro das polêmicas do BBB 21, é esse tipo de ação que os internautas estão dizendo que está acontecendo dentro da casa.

Lucas, do time Camarote, provocou muitas confusões nas duas festas da 1ª semana. O ator levantou a pauta do racismo e disse que queria formar o “time dos pretos” e que todos os participantes brancos mereciam ser eliminados do BBB antes do outros. Sua ideia foi rejeitada e despertou a revolta dos demais. No entanto, Karol Conká foi além, passando a ignorar e mal-tratar Lucas – causando uma forte onda de protestos dos telespectadores, inclusive com pedidos para sua expulsão.

Cancelamento: Lucas é excluído pela a casa
Lucas é excluído pela a casa | Créditos: TV Globo

Além disso, a cantora também se irritou com a participante Juliette, chamando-a de “obsessiva” e “invasiva”. Em seguida, a rapper ainda foi acusada de xenofobia, uma vez que disparou “Eu sou de Curitiba, é uma cidade muito reservadinha… Eu tenho muita educação para falar com as pessoas”.

O público também está condenando o ataque à Juliette e a militância vazia dos do brothers Fiuk e Lumena. O filho de Fábio Jr. chegou afirmar que a sister é fingida e questionar os remédios de ansiedade que ela toma.

Já em outra situação, nos primeiros dias do jogo, Lumena discutiu com Juliette por passar tempo demais no confessionário, jogando contra ela: “Você tirou o direito de eu expressar os meus verdadeiros sentimentos para com a casa. Eu tive que raciocinar pelo coletivo”.

Por sua vez, Juliette e Lucas vem se isolando cada vez mais da casa e, diariamente, tentam mudar o comportamento para agradarem e serem aceitos pelos demais. “A pessoa que sofre o cancelamento fica conectada a dois sentimentos: vulnerabilidade e impotência. Porque ela fica sem voz para ser escutada, não consegue ter a autodefesa. Emocionalmente, também gera baixa da autoestima, sensação de fraqueza e perguntas do tipo ‘onde foi que eu errei?’ ou ‘onde foi que eu desconstruí isso?'”, completa Patrícia.

E agora? Fui cancelado!

A pedagoga e digital influencer Carola Duarte utiliza as redes sociais profissionalmente há mais de 10 anos e, assim como toda figura pública, afirma ter consciência que, quanto maior a exposição, mais alta a possibilidade de ataques.

“Em algum momento, todos tivemos comportamentos que podem ter afetado uma pessoa e, por isso, não cabe a ninguém praticar essa política de cancelamento. Infelizmente, nós, que estamos expondo nossa vida nas redes, sofremos o tempo todo com julgamento”, lamenta.

Para lidar com essa situação, a dica de Patricia Capuani é se colocar à disposição para um debate. “Precisamos de uma estrutura emocional muito fortalecida, conectada aos nossos ideais e objetivos. Assim, a partir do momento em que acontece algum tipo de cancelamento, você estará fortalecida pelos seus paradigmas.”

Essa também é a ideia de Carola, que garante não ter medo de ser cancelada “porque tudo o que compartilho está dentro do que acredito, pautado nos meus valores. Procuro não entrar em assuntos polêmicos, principalmente se não tenho competência para falar sobre. Acredito que sempre terá alguém para nos julgar. É impossível agradar todo mundo”, avalia.

Leia também: Como se tornar instagramável pode ajudar seu negócio?
Assista: Para cada mundo, um Mundo Zumm

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!