Início Colunas As reformas, a Selic e a vida dos brasileiros

As reformas, a Selic e a vida dos brasileiros

Como as reformas ajudam a economia brasileira? A evolução da taxa Selic, que define o custo da dívida pública e baliza as taxas de juros no país, ajuda a entender

Reformas como o teto de gastos públicos, da Previdência, Administrativa e o programa de privatizações diminuem os gastos e a dívida pública. Assim, reduzem o risco de que o governo não consiga pagar a dívida e/ou deixe a inflação se acelerar para inflar a arrecadação de impostos e corroer o valor real da dívida. Com menos risco de inflação e calote da dívida, a taxa Selic cai.

Mas, e daí? Como a queda da Selic melhora a vida dos brasileiros? A dívida pública é hoje de R$4,4 trilhões. Quando o valor da taxa cai de 14,25% a.a. para 2% a.a., o Brasil passa a gastar R$450 bilhões a menos com juros da dívida pública… por ano.

Só para dar uma ideia: todos os investimentos públicos anuais em infraestrutura (rodovias, portos, aeroportos, energia, telecomunicações e outros) não chegam a R$30 bilhões. Todos os gastos da União com saúde, no ano passado, foram de R$114 bilhões; com educação, de R$94 bilhões. Se os recursos poupados com a redução do custo da dívida pública fossem somados ao que já gastamos com infraestrutura, saúde e educação, poderíamos triplicar os investimentos nessas áreas.

No entanto, não foi isso que aconteceu. Por quê? Os recursos poupados foram usados para cobrir aumentos de outros gastos e desperdícios, como corrupção, salários, auxílios e pensões do funcionalismo público, aumento do Fundo Partidário e criação do Fundo Eleitoral.

Para fechar esses ralos por onde os recursos públicos escorrem, precisamos lutar pelo combate à corrupção, a Reforma Administrativa e privatização em massa. Se fizermos isso, a taxa de juros básica brasileira vai a zero ou ficará negativa, como já está no Japão, Europa e EUA. O mais importante é que haverá recursos para melhorar os serviços públicos e cortar impostos, reduzindo o preço de produtos e serviços.

Além disso tudo, a queda da taxa Selic fez com que os juros para empresas e pessoas físicas fossem menos altos do que seriam. Se você acha que os juros no Brasil são altíssimos -  e são mesmo -, imagine como seriam se a taxa básica fosse sete vezes maior.

Leia mais: Cédula de R$200: como ela pode impactar a economia brasileira?
Assista: Papo Zumm: Vinhos do Douro

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!