Início Matérias Gourmet 2ª safra da Vinícola Terras Altas antecipa produção 300% maior

2ª safra da Vinícola Terras Altas antecipa produção 300% maior

Realizada na última quinzena de julho, a nova safra das uvas Syrah apresenta maior qualidade e rendimento. A partir dela, devem ser produzidas cerca de 9 mil garrafas do vinho Entre Rios

Os últimos dias de julho trazem boas novas para os apaixonados por vinhos: a colheita da 2ª safra da Vinícola Terras Altas já está sendo realizada e apresenta ótimos resultados. Com parreiras mais maduras e novos hectares plantados, a previsão é que sejam colhidas 12 toneladas de uva tipo Syrah, que, por sua vez, deve resultar em 9 mil garrafas do vinho Entre Rios, 1º rótulo 100% ribeirão-pretano.

Os números representam um crescimento de quase quatro vezes da safra e, consequentemente, na futura produção. O lote de estreia desse vinho tinto, lançado em maio de 2020, contou com 2,4 mil garrafas, produzidas a partir de 3,5 toneladas da uva.

colheita safra Terras Altas
José Renato Magdalena, Ricardo Baldo e Fernando Horta (empresário enófilo e investidor) | Crédito: Divulgação

“Essa nova safra apresenta dois aspectos muito importantes: a experiência já adquirida com a 1ª colheita e uvas de qualidade superior, devido a melhores condições climáticas. Nossa primeira produção já foi muito boa, mas essa será ainda melhor”, afirma o empresário José Renato Magdalena, idealizador e um dos investidores da vinícola.

Os ganhos na quantidade e na qualidade da uva foram possíveis, segundo Ricardo Baldo, engenheiro agrônomo responsável pelo projeto, graças ao aumento da área plantada, que passou de dois para quatro hectares, e à maturação das parreiras, que, quanto mais “velhas”, produzem melhor. “Nossa uva está mercando 26º brix [medida de açúcar do suco da fruta], contra 24º registrado na safra anterior. Isso influencia no corpo e na cor do vinho, resultando em uma bebida mais encorpada e de melhor qualidade”.

Sucesso de primeira

As primeiras garrafas do vinho Entre Rios se esgotaram em poucos dias, deixando o mercado, inclusive de outras regiões, com demanda para mais. O sommelier Eduardo Serra Sartori, presidente da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) em Campinas (SP), veio a Ribeirão Preto para presenciar o primeiro dia da colheita 2020.

Entre as parreiras, cultivadas por meio da técnica de dupla poda (na qual o ciclo da uva é adaptado para o inverno), o sommelier apontou para o fato de o projeto ter chamado a atenção desde o início por ser realizado em uma região considerada “inusitada”, mas avaliou que foi impactado positivamente. “Por serem parreiras tão novas, elas renderam muito bem já na 1ª safra. Com certeza, sendo o Entre Rios um vinho experimental, sua qualidade é surpreendente e tem muito potencial”.

colheita safra Terras Altas | Crédito: Rafael Cautella

E, apesar do lote de estreia ter esgotado, ainda há frutos a serem colhidos da safra 2019. De acordo com Ricardo Baldo, está previsto para dezembro o lançamento de um rótulo especial pela Vinícola Terras Altas, resultado do armazenamento da bebida em barricas de carvalho francês durante um ano. Outro lote permanecerá por dois anos. O processo tem como objetivo agregar outros elementos ao aroma, corpo e cor do vinho.

Saiba mais: Terras Altas Vinícola lança 1º vinho produzido em Ribeirão Preto
Assista: Comfy color

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!